Artigos

Emdr Terapia para Tratamento de Traumas

Quando um trauma ocorre ele passa a interferir  em nossas vidas de forma direta ou indireta através de nossos comportamentos e atitudes. O trauma na maioria das vezes limita e empobrece nossa qualidade de relacionamentos interferindo diretamente em nosso bem estar e em nossa saúde emocional.

Existe uma gama de acontecimentos que podem causar um trauma, mas sua instalação está diretamente relacionada à capacidade emocional, que inclui preparo e maturidade do indivíduo para lidar com aquela situação assustadora; desta forma, uma ocorrência pode ser extremamente traumatizante para uma pessoa e ser mais facilmente elaborada por outra.

Podemos entender o trauma como uma experiência de natureza excepcionalmente ameaçadora ou catastrófica que põe em risco a segurança ou integridade física do paciente ou pessoa(s) amada, p.ex. catástrofe natural, acidente, assalto, seqüestro, estupro ou outro crime, testemunhar a morte violenta de outros, ser vítima de tortura física ou emocional, sofrer mudança súbita e ameaçadora na posição social e/ou relações do indivíduo, tal como perdas múltiplas, etc.

São sintomas típicos de estresse pós-traumático, episódios de repetidas revivescências do trauma sob a forma de memórias intrusas (flashbacks) ou sonhos, algumas vezes ocorrendo embotamento emocional, afastamento de outras pessoas, evitação de atividades e situações que possam de alguma forma recordar o trauma.

 

O que é EMDR?

EMDR – Eye Movement Desensitization and Reprocessing
Dessensibilização e Reprocessamento através de Movimentos Oculares 

O EMDR é um método revolucionário criado pela Dra. Francine Shapiro, psicóloga americana, Ph. D., especialmente empregado no tratamento de transtorno de estresse traumático e pós-traumático, quadros de ansiedade, depressão, fobias, síndrome do pânico instalação de recursos positivos e outros.

“EMDR é a nova terapia especialmente útil para a transformação das lembranças traumáticas. De uma forma revolucionária ajuda a libertar a mente, o corpo e abrir o coração. É uma forma de ver à conduta disfuncional, quando se acredita que a sua origem está em incidentes

traumáticos do passado. Quando estes são identificados de uma forma sábia e hábil podem ser processados e integrados, o que resulta em condutas funcionais e apropriadas.” 
Parnell, L. (1997) Transforming Trauma: EMDR. New York: WW Norton & Co. p.39

A ASSOCIAÇÃO PSIQUIÁTRICA AMERICANA recomenda o EMDR como um dos principais métodos da atualidade para o tratamento de situações traumáticas. 

Novas aplicações do método têm se voltado para o tratamento de doenças psicossomáticas.

O referencial teórico da psicoterapia de processamento encontra respaldo em descobertas recentes no campo neuropsicológico, e os resultados clínicos são obtidos com rapidez.

Estudos recentes indicam o sucesso e a manutenção das conquistas terapêuticas.

 

Como Funciona o EMDR?

O  EMDR é um trabalho que exige profissional clínico devidamente capacitado e certificado pelo EMDR Institute, dos Estados Unidos, para sua implementação. Atualmente utilizamos além dos movimentos oculares, outras formas de estimulação bilateral, como a auditiva e a tátil. Para algumas pessoas estas formas dão melhores resultados.

O EMDR é um trabalho complexo que exige o conhecimento da história clínica do paciente, diagnóstico apropriado, desenvolvimento de uma relação empática terapeuta/cliente e a preparação do paciente para o EMDR em si. Os movimentos são realizados em conjunto com a psicoterapia para ajudar o cliente a integrar os traumas processados. 
     

A teoria dos Movimentos Oculares Rápidos durante o sono (REM Rapid Eye Movement) é a mais relevante para explicar o êxito do EMDR.  Parece que todos nós estamos processando as experiências do dia durante as etapas do sono REM. Em situações normais, parece que o cérebro "revisa" as experiências do dia, processa  e arquiva as lembranças no seu enorme banco de dados cerebrais. No entanto, quando temos alguma experiência

traumática, parece que o cérebro não consegue processar o evento e o incidente fica no nosso cérebro como uma espécie de "nó neurológico". É possível que os pesadelos sejam tentativas fracassadas do cérebro para processar as lembranças traumáticas.

Com o EMDR o cérebro recebe a ajuda necessária para processar o fato e arquivá-lo. Perde-se, assim, a carga negativa associada à situação, e muitas vezes se recupera as lembranças positivas vinculadas a isso e que antes não se podia perceber.

Muitas pessoas têm a sensação de que a lembrança agora está realmente no passado e que já não incomoda quando se recordam dela. Uma cliente disse, depois do processamento de uma experiência de abuso sexual: "dói, mas já não fere”. 

        

"Como ocorre uma sessão de EMDR?

A aplicação do EMDR é feita a partir da escolha de um problema específico a ser trabalhado. O cliente traz um tema perturbador, que pode ser a lembrança de um evento traumático ou um pensamento negativo, por exemplo. Procura manter em mente uma cena, um sentimento, um som, um pensamento e ainda as crenças negativas relacionados ao problema, enquanto o terapeuta conduz os movimentos bilaterais. 

Nosso cérebro possui recursos para realizar a cura de suas feridas emocionais, da mesma forma que nosso corpo cura nossas feridas físicas. O processo de EMDR direciona nosso cérebro para a cura. O processamento acelerado de informações propiciado pelo EMDR é feito de forma particular, ou seja, cada um irá processar suas associações, baseada em sua experiência pessoal e seus valores.

Os estímulos bilaterais são repetidos até que a lembrança seja menos perturbadora e possa ser associada a pensamentos e crenças pessoais mais positivas. 

É importante informar que o EMDR não é um tipo de hipnose e que a pessoa pode interromper os movimentos a qualquer momento. A Dra. Shapiro diz que "quando a informação é integrada de forma positiva e resolvida de forma adaptativa sempre estará disponível para ser usada no futuro. O EMDR não tira nada que o cliente precise e nem lhe dá amnésia". (Parnell, 1997:72).

Um princípio fundamental da terapia com EMDR é que a saúde básica existe dentro de nós e o que o EMDR faz é tirar o bloqueio causado pelas imagens, crenças e sensações corporais negativas e permitir que o estado normal (de saúde) da pessoa surja (Parnell, 1997:72)

 Numa comunicação pública a Dra. Shapiro disse: "se o corpo humano tem a capacidade de se curar das feridas físicas com relativa rapidez, por que não a mente?". 

O caráter de psicoterapia breve é mais uma das vantagens do método.

Sirley R. S. Bittú

Terapeuta em EMDR Level II pelo EMDR Institute/EUA


Direitos Autorais deste texto – Dra. Sirley Santos Bittu.
O texto está registrado de acordo com a lei de Direitos autorais.

Unlimited Colors
Menu Background:
Main Link Color:
Footer Background:
Reset colors